Alimentos permitidos na dieta low carb

Veja o que você pode comer sempre, de vez em quando e nunca

 

O nome da dieta vem do inglês que traduzido significa: baixo carboidrato. Isso muita gente já sabe, o que ainda fica difícil de traduzir é a quantidade de carboidrato que cada alimento contém. A tríade massa, açúcar e farinha não é suficiente para garantir um cardápio low carb. Para te ajudar a conhecer melhor os alimentos que podem fazer parte da sua dieta low carb, a gente pediu ajuda da Bia Nunes, fundadora da Comida Boa.

 

Antes, a gente precisa mudar alguns conceitos básicos como, por exemplo, substituir a ideia de proibição, por restrição. Comer sempre deve ser um prazer e trazer satisfação e quando a gente faz isso com alimentos saudáveis e cardápio equilibrado, nem a consciência fica pesada. Por isso, a gente montou especialmente para você uma listinha de alimentos separada em: sempre, de vez em quando e nunca. A ideia é você ir se familiarizando os valores nutricionais dos alimentos e entender a hierarquia deles.

 

SEMPRE

Alimentos com sinal verde para entrar no seu prato sem pedir licença:

 

  • Abacate
  • Abobrinha
  • Acelga
  • Agrião
  • Água, de 2 a 3 litros por dia.
  • Aipo
  • Alface
  • Alho poró
  • Aspargos
  • Azeite
  • Berinjela
  • Brócolis
  • Café e chás sem açúcar;
  • Cebola
  • Chuchu
  • Coco
  • Cogumelos
  • Couve
  • Couve-flor
  • Escarola
  • Espinafre
  • Melão
  • Morango
  • Pepino
  • Pêssego
  • Pimentão
  • Proteínas indicadas – carnes, peixes, ovos, leite e derivados, soja e quinoa
  • Rúcula
  • Sementes
  • Tomate cereja
  • Vagem

 

DE VEZ EM QUANDO

Sinal amarelo para esses alimentos. Podem entrar no seu prato, mas a quantidade deve ser controlada.

 

  • Abobora
  • Arroz integral
  • Batata doce
  • Feijão
  • Grão-de-bico
  • Inhame, aipim, mandioca
  • Iogurte
  • Leite
  • Lentilha
  • Macarrão integral
  • Milho
  • Pão integral

 

NUNCA

Sinal Vermelho! Melhor escolher um substituto mais saudável para esses itens.

 

  • Adoçantes
  • Arroz branco
  • Batata frita
  • Bolos e biscoitos
  • Carnes processadas: presunto, peito de peru, salsicha, linguiça, salame, mortadela, bacon
  • Cereais – trigo, cevada, centeio
  • Cuscuz
  • Doces
  • Farofa
  • Macarrão branco
  • Margarinas
  • Pão
  • Refrigerantes
  • Sorvete
  • Tapioca

 

Tente evitar todo o tipo de produtos industrializados, uma vez que normalmente contêm uma elevada concentração de carboidratos, dando preferência para produtos naturais e vegetais frescos. Sua saúde agradecerá!

Ativando o modo high fat na sua dieta low carb

Faça da gordura boa sua amiga no processo de emagrecimento

Esse é o mantra para aquelas pessoas que já se adaptaram ao estilo de vida com uma rotina alimentar de baixo consumo de carboidratos. Em outras palavras, quando seu corpo já não treme mais quando passa por uma pizzaria ou sorveteria. Se você chegou até aqui parabéns!

 

O modo high fat low carb significa uma dieta com alto teor de gordura e proteína e baixo teor de carboidratos. Uma dieta equilibra deve, necessariamente, conter esse tripé: carboidrato, proteína e gordura. Às críticas em relação a este tipo de dieta são em relação à eliminação total do consumo de carboidrato. Isso não pode!

 

Digamos que a dieta low carb define o espaço que cada alimento vai ocupar no prato. Neste caso, o protagonismo está na gordura boa! E isso tem uma explicação medicinal. De acordo com a Associação Brasileira de Nutrologia o carboidrato é metabolizado mais rapidamente pelo organismo, fazendo com que a pessoa sinta fome antes, enquanto as gorduras demoram mais. As gorduras poli-insaturadas, monoinsaturadas e saturadas podem ser consumidas de forma equilibrada. Um terço para cada tipo na alimentação. Já a gordura hidrogenada está proibida, pois favorecem uma série de problemas de saúde, como aumento dos níveis do colesterol ruim e reduzir o bom, eleva o risco de AVC e problemas cardiovasculares, entre outros alerta a Associação.

 

 

Gordura boa no prato!

As gorduras poli-insaturadas e monoinsaturadas são as chamadas gorduras boas. Elas são benéficas para o cérebro e o sistema cardiovascular. As gorduras boas também têm ação anti-inflamatória. Alguns destes ácidos graxos ainda podem ser aliados da visão, contribuir para o controle da pressão arterial e prevenir o diabetes e a obesidade.

A natureza oferece ótimas opções de gorduras saudáveis contidas em alimentos como: peixes, especialmente aqueles de águas profundas e frias como o salmão e a sardinha, as oleaginosas, o abacate, sementes como a chia, o gergelim e a linhaça, e óleos vegetais, como o azeite.

 

O Comida Boa recomenda que antes de iniciar qualquer dieta você converse com seu médico e avaliem a indicação. A dieta low carb não é recomentadas para pessoas que sofram de insuficiência renal, cardíaca ou hepática ou diabetes.

Adeus trigo! Tchau glúten!

Conheça as farinhas low carb que garantem receitas gostosas e mais saudáveis

 

A alimentação low carb está fazendo uma revolução no jeito de comer. Ela tem questionado alguns comportamentos alimentares propondo sabor com qualidade nutricional. Quer um exemplo? Quando pensamos em fazer um bolo, já imaginamos duas xícaras de farinha de trigo. Dentro dessa inocente xícara vai muito glúten, carboidrato e quase nada de fibras. As receitas low carb oferecem opções mais inteligentes para receitas simples do cotidiano. Ao substituir o trigo por uma farinha coco, você garantirá o mesmo bolo, porém, com menor índice de carboidratos, sem glúten, rico em fibras e com um sabor especial.

 

Aqui no blog Comida Boa a gente preparou um ABC das farinhas low carb, veja abaixo várias opções que podem entrar na sua rotina de receitas de massas, pães e bolos e diga bye bye trigo!

 

 

Farinha de Amêndoa

Uma das mais populares atualmente quando o assunto é alimentação low carb, a farinha de amêndoas é isenta de glúten, além de ser fonte de fibras, vitamina E, e antioxidantes. Também apresenta gordura monoinsaturada e poli-insaturada. A farinha de amêndoas, ao mesmo tempo: tem sabor neutro, é versátil, e substitui perfeitamente a farinha de trigo (pode ser utilizada para substituir a farinha de trigo na proporção 1:1).

 

Informações nutricionais (porção de 15g):

  • 3g de proteínas
  • 8g de gordura
  • 3g de carboidratos líquidos

 

Farinha de Castanha de Caju

Sem glúten, rica em gordura mono e poli-insaturadas, previne a dislipidemia, diminuindo o LDL-colesterol. Além disso, também apresenta magnésio e zinco.

A farinha de castanha de caju é outra opção de farinha low-carb bem comum e não tão cara. Sendo que a sua maior desvantagem é o fato de ser composta por quase 30% de carboidratos líquidos.

 

Informações nutricionais (porção de 15g):

  • 2,7g de proteínas
  • 6,6g de gordura
  • 4,9g de carboidratos líquidos

 

Farinha de Coco

Bastante popular quando o assunto é alimentação low carb, a farinha de coco apresenta fibras, proteínas, carboidratos em pequena proporção, gordura monoinsaturada e saturada e é isenta de glúten. Tem sido cada vez mais fácil encontrá-la mesmo em grandes redes de supermercados. A farinha de coco é boa opção principalmente em substituição a farinha de trigo em bolos e tortas doces.

 

Informações nutricionais (porção de 15g):

  • 2,3g de proteínas
  • 4g de gordura
  • 1,4g de carboidratos líquidos

 

Farinha de Linhaça

A farinha feita a partir da linhaça marrom ou dourada é nutritiva, baixo índice de carboidrato, combate o intestino preso e é uma das mais baratas. Você encontra em supermercados processada ou pode comprar a linhaça e fazer em casa. Algumas pessoas tem resistência ao sabor um pouco amargo.

É melhor moer a linhaça na hora em que for usar sua farinha – tanto em termos nutricionais quanto para a conservação do sabor.

 

Informações nutricionais (porção de 15g):

  • 3g de proteínas
  • 5g de gordura
  • 1g de carboidratos líquidos

 

 

Farinha de Maracujá

Esta é uma boa opção de farinha low carb, mas, vale destacar: ela apresenta carboidrato, porém reduzido. É rica em fibras, principalmente a pectina. Atua no controle do colesterol e glicemia. Ela é uma opção interessante por ter a textura próxima a da farinha de trigo. É feita a partir da casca do maracujá desidratada, o que gera um fundo de sabor bem amargo. Nossa dica é misturar a outras farinhas e dar mais volume ao seu mix de farinhas low-carb.

 

Informações nutricionais (porção de 15g):

  • 1g de proteínas
  • 0g de gordura
  • 3,6g de carboidratos líquidos

 

Farinha de Nozes

A farinha de nozes é um prato cheio para os fãs dessa oleaginosa. Também é isenta de glúten e apresenta uma concentração baixa de carboidrato. Tem antioxidantes, vitamina E, e gorduras mono e poli-insaturadas. Por não liberar leite durante a preparação da farinha, o resultado final apresenta aroma e sabor bem marcantes.

 

Informações nutricionais (porção de 15g):

  • 2g de proteínas
  • 7g de gordura
  • 2,5g de carboidratos líquidos

 

 

 

Parece, mas não é!

Atenção para farinhas que parecem ser low carb, mas são desmascaradas pelo rótulo nutricional. Cuidado, pois elas podem impedir melhores resultados na sua dieta low carb. Ao se deparar com elas, corra para as montanhas!

 

  • Farinha de aveia (integral ou não)
  • Farinha de banana verde
  • Farelo de aveia
  • Farinha de grão de bico
  • Farinha de tapioca

 

Dieta Low Carb faz mal?

Dieta Low Carb faz mal 

Se você ainda não fez essa pergunta, provavelmente conhece alguém que fez! Saiba que você não é a única pessoa em busca da resposta. Você sabia que a low carb foi a dieta mais procurada pelos brasileiros no ano passado? O levantamento foi feito pelo Google e apresentou um aumento de 986% em relação a 2016.

Dieta Low Carb faz mal 

Todo mundo quer saber sobre esse assunto, incluindo Bia Nunes, fundadora da Comida Boa, que se dedica a investigar os resultados da dieta low carb associados ao emagrecimento, qualidade de vida, alimentação saudável, manutenção de peso, perda de massa gorda, ganho de massa magra, além de outras variáveis que se tornam os objetivos das pessoas que buscam por essa dieta.

 

Como se trata de um assunto novo, ainda não existem estudos que comprovem a maior eficiência da low carb em comparação com outras dietas nem pesquisas que confirmem melhora na qualidade de vida a médio e longo prazo de pessoas que consomem menos carboidrato diariamente.

 

A boa notícia é que profissionais da área da saúde começaram a formar os primeiros órgãos de pesquisa e regulamentação de produtos e alimentos low carb, como é o caso da Associação Brasileira de Low Carb, liderada pelo médico José Carlos Souto @jcsouto e pela nutricionista Paty Ayres @patyayres.nutri.

Dieta Low Carb faz mal  Dieta Low Carb faz mal  Dieta Low Carb faz mal 

Muitos profissionais de saúde apoiam a dieta low carb como parte fundamental no tratamento de doenças como diabetes e celíaca (intolerância ao glúten) e muitas outras. Há um consenso entre estes profissionais em recomendar que um adulto consuma entre 20% e 40% de carboidrato em relação às calorias ingeridas em um dia, ou algo em torno de 50g a 100g.

Afinal, Dieta Low Carb faz mal?

A verdade é que a low carb é o estilo de alimentação que melhor representa o comportamento alimentar da pós-modernidade, pelos seguintes motivos:

 

  • Você não passa fome;
  • Você diminui e não elimina a ingestão de carboidratos;
  • Menor sobrecarga de insulina no sangue;
  • Menos sensação de inchaço, sono e cansaço;
  • O espaço do carboidrato é preenchido por proteínas;
  • Isso significa mais saciedade (em outras palavras: menos fome);
  • Maior construção de massa magra;
  • O metabolismo fica mais ativado;
  • O cardápio é abrangente, democrático e acessível;
  • É possível adaptar o cardápio de acordo com o seu estilo de vida
  • É possível manter a dieta mesmo em viagens, férias e em todas as refeições;
  • Valoriza a maior diversidade de vitaminas, minerais e alimentos naturais;
  • Estimula o consumo de alimentos sem glúten e sem açúcar;
  • Tem sempre uma opção mais saudável para doces, pães, bolos e geleias.

 

 

Quero seguir a dieta low carb! E agora?

 

A low carb é a evolução das dietas que já fizeram sucesso no mundo todo como a do Dr. Atkins, a Dukan, a South Beach e até mesmo a Paleolítica. A diferença é que ela não é uma moda, veio para ficar e te ajudar a ser mais saudável, leve e feliz.

Dieta Low Carb faz mal 

Nós da Comida Boa recomendamos que você procure um médico, nutricionista ou nutrólogo antes de iniciar o estilo de vida low carb. Um destes profissionais acompanhará o seu desempenho e a aceitação do seu metabolismo com a nova dieta. Todo processo de educação alimentar deve ser feito com o acompanhamento de um profissional, para que seja eficiente e traga os melhores resultados para você.

 

Bom, acho que agora você pode começar a pensar na resposta, não é mesmo? A Comida Boa conta com um time de especialistas que estuda cardápios para que você tenha os resultados esperados sem perder o sabor, é claro!

O que achou do nosso post sobre Dieta Low Carb faz mal?

Gostou? Não gostou? Ficou com alguma dúvida sobre o nosso post Dieta Low Carb faz mal? Deixe nos comentários!

 

Ah, mais uma coisa: o post Dieta Low Carb faz mal? apareceu primeiro do Blog do Comida Boa Low Carb 😉

A Comida Boa é low carb

Diariamente, pessoas nos perguntam se a Comida Boa é mesmo low carb. A boa notícia é que sim! Todos os nossos pratos, pães, bolos e doces são low carb. Usamos somente alimentos com baixo teor de carboidrato e, além disso, tudo que sai da nossa cozinha não contém glúten nem açúcar.

Usamos a frase acima para responder pessoas interessadas que, quase sempre, se tornam nossas clientes. Mas, ainda temos muito a compartilhar sobre a low carb. Por isso, usaremos o blog da Comida Boa como principal canal de comunicação, trazendo informações úteis a todos que seguem ou desejam seguir este estilo de vida.

 

Mas, afinal, o que é low carb?

 

Segundo a nossa nutricionista e fundadora da Comida Boa, Bia Nunes, a low carb é sustentada pelo seguinte tripé:

 

1. Carboidrato

Substituir alimentos com alto teor de carboidrato e índice glicêmico por alimentos com alto teor de gordura boa. Esta substituição é importante, pois ao ingerirmos carboidrato nos sentimos saciados e a saciedade será provocada, agora, por alimentos que contém gordura boa como:

Oleaginosas são ricas em gorduras boas, que substituem o carboidrato.
  • Oleaginosas
  • Queijos amarelos
  • Creme de leite fresco
  • Requeijão integral
  • Ovos
  • Carnes (bovina e suína)
  • Aves
  • Peixes e frutos do mar
  • Abacate
  • Coco

As oleaginosas mais conhecidas são as simpáticas castanhas de caju e do Pará, a amêndoa e as nozes. Também fazem parte deste grupo o amendoim, a avelã e a macadâmia.

 

2. Glúten

Cortar totalmente o consumo de glúten, substituindo a farinha de trigo, por exemplo, por farinhas feitas das oleaginosas que citamos acima. Nos pães, bolos, tortas, quiches e cookies da Comida Boa nós usamos as farinhas de amêndoas, linhaça e amendoim. Cortar o glúten é uma tarefa difícil para nós brasileiros tão acostumados com pão francês no café da manhã, arroz, feijão e macarrão no almoço, acompanhados quase sempre de batatas nos mais variados formatos (purê, souté, dorê, frita), além da querida pizza que tem entrada liberada a qualquer hora do dia ou da noite.

Geleia de morango da Comida Boa. Deliciosa!

 

3. Açúcar

Cortar totalmente o consumo de açúcar e adoçantes industrializados, substituindo-os por adoçantes naturais como o eritritol e o xilitol. Aqui na cozinha da Comida Boa, nós usamos o xilitol para adoçar nossos doces, bolos, cookies e a deliciosa geleia de morango. Estes adoçantes são facilmente encontrados em lojas de produtos naturais e nas sessões de produtos naturais de supermercados

 

Dicas para fazer da low carb sua amiga para a vida:

 

É comum que algumas pessoas desistam de seguir o estilo de vida low carb após um certo período, por ficarem enjoadas de tanto comer ovo com queijo-prato no café da manhã, carne com brócolis no almoço e frango com abóbora no jantar. De fato, nós concordamos. Chega uma hora que nem a pessoa mais adepta à low carb encara o centésimo ovo mexido no dejejum.

 

Bia Nunes e Edilson Nunes, chef de cozinha e co-fundador da Comida Boa, estavam cansados da restrição de alimentos que, aparentemente, a low carb impunha. Dispostos a desbravar um novo mundo de sabores, pesquisaram, testaram e descobriram receitas incríveis que hoje estão presentes em nosso cardápio.

 

Aqui, eles citam boas dicas para nos mantermos firmes e fortes na low carb:

 

  • Faça receitas simples e tradicionais com legumes permitidos na low carb. Não é só com batata que se faz um delicioso purê. A couve-flor e a abóbora japonesa têm texturas ótimas para serem transformadas em deliciosos purês. O cardápio da Comida Boa tem três pratos com purê de couve-flor que são de comer rezando de tão deliciosos.
Pão low carb de sementes. Macio e saboroso.

 

  • Arrisque-se na cozinha e asse o seu próprio pão low carb. Morder um delicioso pão no lugar do omelete é essencial para seguirmos no estilo de vida low carb. Se cozinhar não for o seu forte ou se o tempo for curto para preparar pães, temos ótimas opções de bolos e pães low carb na loja virtual da Comida Boa.

 

  • A internet tem inúmeras receitas de pratos com baixo teor de carboidrato e sem glúten que vão te surpreender. Variar o cardápio é fundamental para não desistir da low carb.

 

  • Busque apoio e incentivo nas redes sociais. Temos clientes queridos como a Roberta Levatte, que criou o perfil @lowcarb_eh_vida a fim de relatar sua mudança de rumo para o estilo low carb e, hoje, tem milhares de seguidores que encontram nela incentivo e animação para seguirem dizendo não ao consumo excessivo de carboidrato e glúten.