Dukan, Atkins, cetogênica, mediterrânea e low carb: o que são essas dietas?

Entenda as principais características e diferenças entre as dietas de baixo carboidrato mais populares.

Você sabe dizer a diferença entre as dietas de restrição de carboidrato? Veja a seguir um apanhado sobre origens e conceitos das variedades mais famosas.

Dieta Dukan

A dieta Dukan é uma estratégia alimentar desenvolvida pelo médico francês Pierre Dukan, em que há redução do consumo de carboidratos e foco em “comida de verdade”. É uma das dietas mais famosas por ter adeptas como Kate Middleton, Beyoncé e Fernanda Paes Leme.

Outra razão para a fama da dieta Dukan é a promessa agressiva de perda de peso: 1 quilo por semana segundo o médico francês. Mas essa estratégia tem uma desvantagem: a dieta é de difícil manutenção a longo prazo e exige um cuidadoso acompanhamento médico para minimizar a possibilidade de desenvolvimento de deficiências nutricionais.

Os principais objetivos da dieta Dukan são:

  • Perda agressiva de peso e de circunferência abdominal;
  • Ser uma dieta “fácil”, podendo ser aplicada sem um controle rigoroso de calorias ou porções.

Fases da dieta Dukan

  • Ataque: consumo apenas de proteínas de baixo teor de gorduras (é só isso mesmo, não tem nem vegetais);
  • Cruzeiro: a proteína ainda predomina, mas as frutas e os vegetais ganham espaço progressivamente assim que os resultados são atingidos;
  • Consolidação: perda de peso e equilíbrio entre proteínas e carboidratos;
  • Estabilidade: fase adotada ao atingir os objetivos desejados. Impõe um dia da semana com cardápio de proteína pura.

Dieta Atkins

Originalmente desenvolvida pelo cardiologista americano Robert Atkins, é a primeira dieta de redução de carboidratos que ganhou fama. A dieta propõe uma severa redução do consumo de carboidratos e a valorização de proteínas e gorduras.

No livro “A Dieta Revolucionária do Dr. Atkins”, o médico explica que a dieta desencadeia uma mudança no metabolismo causada pela falta de glicose (formada pelos carboidratos), obrigando o corpo a usar energia estocada (gordura corporal) como energia ao invés de carboidratos. Esse processo também é conhecido como cetose (veremos mais sobre isso na dieta cetogênica).

Os principais objetivos da dieta publicada em 1972 por Atkins são:

  • Perda e controle do peso por meio da cetose;
  • Controle da compulsão alimentar: reeducação do paciente para evitar a sensação de “ficar empanturrado”;
  • Reflexão sobre aquilo que comemos: auxiliar para que o paciente possa escolher opções mais saudáveis;
  • Controle dos níveis de glicose, colesterol e triglicérides.

Fases da dieta Atkins

Segundo a Atkins Nutritionals, a dieta é dividida em quatro fases:

  • Introdução: processo de reeducação alimentar;
  • Desenvolvimento: perda de peso;
  • Equilíbrio: avaliação do nível ideal de consumo de carboidrato;
  • Manutenção: dieta permanente.

Cada fase possui duração e meta de acordo com cada pessoa, sendo definido entre médico e paciente durante o acompanhamento da dieta.

Dieta cetogênica

Assim como a Dukan e a Atkins, a dieta cetogênica é baseada na redução de carboidratos. Seu nome vem da cetose e é uma dieta com objetivo de emagrecimento a curto prazo.

Na dieta cetogênica a redução do consumo de carboidratos causa um processo em nosso organismo que dá origem aos corpos cetônicos: moléculas que mexem com os hormônios envolvidos no apetite. Por mexer tanto com o nosso corpo a dieta deve ser acompanhada com rigor por médico ou nutricionista. O acompanhamento da dieta deve ser rigoroso.

A dieta cetogênica não possui um cardápio pré-definido e pode ser adaptada de acordo com o gosto da pessoa — contanto que respeite as recomendações nutricionais. Carnes e derivados, vegetais e gorduras são muito bem-vindas. O consumo de carboidratos é definido de acordo com sexo, idade, altura, nível de atividade física e peso do paciente.

Tipos de dieta cetogênica

O tipo mais comum da dieta cetogênica é o de baixíssimo consumo de carboidratos, equivalente a um total que varia entre 5% e 10% das calorias diárias. Para comparação, a dieta low carb pode chegar a 150g por dia, enquanto a cetogênica pode ficar entre 20g e 50g por dia.

Outras variações são mais radicais e podem controlar também a quantidade de calorias e de refeições por dia.

Dieta mediterrânea

Baseada na alimentação característica dos países banhados pelo Mar Mediterrâneo (Itália, Grécia e sul da Espanha e da França), a dieta mediterrânea propõe uma alimentação com mais alimentos frescos, pouca carne vermelha e nada de processados nem embutidos.

O cardápio é abundante em peixes, vegetais, frutas, azeites e grãos — algumas versões recomendam até um pouco de vinho para acompanhar as refeições. Exercícios físicos e uma rotina menos estressante também fazem parte do bem-estar proposto pela dieta.

Os benefícios da dieta são estudados desde 1950, relacionando a alimentação mediterrânea com a prevenção de doenças cardíacas e redução do LDL (colesterol ruim). A dieta também é recomendada para pessoas sem intenção de perder peso, mas que buscam uma alimentação mais saudável.

A quantidade de carboidratos e porções são bem flexíveis, sendo recomendados individualmente de acordo com a rotina da pessoa.

Leia também: Low carb e diabetes: conheça os benefícios da dieta

Dieta low carb

A low carb é uma dieta de restrição de carboidratos que traz benefícios como perda de peso e o controle de algumas doenças, como a diabetes, por exemplo.

O próprio nome revela: a dieta não elimina totalmente o consumo de carboidrato. A quantidade de carboidrato que deve deixar de ser consumido varia de acordo com o metabolismo de cada um e o plano alimentar escolhido. O objetivo é estimular o consumo de alimentos de baixo índice glicêmico, preferencialmente ingredientes naturais, e de melhor qualidade nutricional.

A dieta low carb possui um diferencial bem interessante: bolos, pães, doces e carnes podem ser incluídos sem culpa no cardápio. É uma dieta sem sofrimento. Pode ser adotada por vegetarianos e celíacos.

Aqui no blog Comida Boa tem um texto exclusivo para falar sobre como planejar a dieta. Confira: O que é Low Carb?

Leia também: Comecei a low carb! E agora, como monto meu cardápio?

Este artigo foi escrito com auxílio da nutricionista e criadora da Comida Boa Bia Nunes.

Atenção: os resultados divulgados no blog Comida Boa podem variar de pessoa para pessoa. É imprescindível consultar seu médico ou nutricionista antes de iniciar uma dieta. Cuide bem da sua saúde!

Low carb e diabetes: conheça os benefícios da dieta

Veja porque a dieta low carb é indicada na prevenção e no tratamento do diabetes e de doenças relacionadas.

Entre 2007 e 2017 o número de brasileiros diagnosticados com diabetes cresceu 61,8%, segundo a pesquisa Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel). No total, 6,9% dos brasileiros vivem com a doença.

Continue lendo

Low carb para pessoas sem tempo

Economize tempo com um plano alimentar e mantenha o ritmo da sua dieta de baixo carboidrato.

Cada vez mais pessoas seguem a low carb, uma dieta focada em alimentos de baixo índice glicêmico. Quem decide seguir o estilo de vida mais saudável que a dieta proporciona deve eliminar açúcares e  alimentos com glúten, como farinha de trigo e legumes com alto índice de carboidrato.

Veja também: O que é Low Carb? (dieta de baixa caloria)

A correria do dia a dia não facilita. Refeições saudáveis demandam tempo de preparo e precisam ser saborosas para nos motivar a continuar a dieta.

Também precisamos garantir que em nossa dieta diária estamos consumindo os nutrientes necessários para a saúde do nosso corpo. Não é uma tarefa fácil, mas vale a pena.

Nem sempre conseguimos preparar nossa própria comida em casa, mas existem boas soluções para manter a dieta e economizar tempo. Pensando nisso, separei algumas dicas para montar um plano alimentar saudável, econômico e com o mínimo de carboidrato na composição.

Continue lendo

O que é Low Carb?

Diversos alimentos low carb, como vegetais, legumes, frutas e queijo

Você já deve ter ouvido falar na dieta low carb ou conhece alguém que segue a dieta. Também conhecida como dieta de baixa caloria ou dieta de restrição de carboidratos, a low carb conquistou muitos adeptos devido a seus benefícios e impactos na saúde.

Como funciona a dieta low carb

A dieta low carb restringe o consumo de carboidratos para trazer benefícios para seu corpo, como perda de peso e o controle de algumas doenças, como a diabetes, por exemplo.

Como o próprio nome diz, a dieta não elimina totalmente o consumo de carboidrato — não é zero, é pouco carboidrato. A quantidade de carboidrato que deve deixar de ser consumido varia de acordo com o metabolismo de cada um e o plano alimentar escolhido (vou falar mais sobre isso adiante). O objetivo é estimular o consumo de alimentos de baixo índice glicêmico, preferencialmente ingredientes naturais, e de melhor qualidade nutricional.

Continue lendo

Comecei a low carb! E agora, como monto meu cardápio?

Você consultou um médico ou nutricionista e conversaram sobre as diversas formas de seguir uma vida saudável, que resulte na perda de peso e no consequente aumento da qualidade de vida.

Juntos, vocês escolheram trilhar o caminho do estilo de vida low carb, que consiste basicamente na diminuição significativa do consumo de carboidrato e na restrição à ingestão de glúten e açúcares.

Vocês também concordaram que toda guinada para uma vida saudável só acontece com a prática de atividades físicas aliada à alimentação saudável. Ótimo! Até aqui, você percorreu metade do caminho. Que conquista!

Agora, começa a estrada sinuosa que muitas vezes coloca em risco todo o plano traçado no consultório. O dia-a-dia da cidade grande e a agenda apertada, onde os compromissos pessoais se espremem entre as demandas do trabalho, quase sempre nos impedem de colocar em prática o estilo de vida low carb.

É preciso pesquisar receitas e alimentos substitutos àqueles que contém glúten ou alto índice de carboidrato. Algumas receitas exigem testes na cozinha até que o tempo de forno seja acertado.

Foi pensando nisso que Bia Nunes, nutricionista e fundadora da Comida Boa, montou um cardápio que te ajudará e muito a entrar de vez no estilo de vida low carb.

Neste cardápio, sugerimos alimentos e damos receitas e dicas valiosas, como a deliciosa combinação do café com creme de leite fresco. Seu café da manhã low carb nunca mais será o mesmo. Também indicamos os produtos da Comida Boa, que além de serem low carb, sem glúten e sem açúcar, são muito saborosos e elaborados com dedicação pelo nosso chef Edilson Nunes, co-fundador da Comida Boa.

Continue lendo

Alimentos permitidos na dieta low carb

Veja o que você pode comer sempre, de vez em quando e nunca

O nome da dieta vem do inglês que traduzido significa: baixo carboidrato. Isso muita gente já sabe, o que ainda fica difícil de traduzir é a quantidade de carboidrato que cada alimento contém. A tríade massa, açúcar e farinha não é suficiente para garantir um cardápio low carb. Para te ajudar a conhecer melhor os alimentos que podem fazer parte da sua dieta low carb, a gente pediu ajuda da Bia Nunes, fundadora da Comida Boa.

Continue lendo

Adeus trigo! Tchau glúten! Olá farinhas low carb

Conheça as farinhas low carb que garantem receitas gostosas e mais saudáveis

A alimentação low carb está fazendo uma revolução no jeito de comer. Ela tem questionado alguns comportamentos alimentares propondo sabor com qualidade nutricional. Quer um exemplo? Quando pensamos em fazer um bolo, já imaginamos duas xícaras de farinha de trigo. Dentro dessa inocente xícara vai muito glúten, carboidrato e quase nada de fibras. As receitas low carb oferecem opções mais inteligentes para receitas simples do cotidiano. Ao substituir o trigo por uma farinha coco, você garantirá o mesmo bolo, porém, com menor índice de carboidratos, sem glúten, rico em fibras e com um sabor especial.

Aqui no blog Comida Boa a gente preparou um ABC das farinhas low carb, veja abaixo várias opções que podem entrar na sua rotina de receitas de massas, pães e bolos e diga bye bye trigo!

Continue lendo